Select Page

Cristiano Varisco

Cristiano Varisco é formado em jornalismo e licenciado em música pela Universidade Federal do Rio Grande do Sul. É, também, professor de música na rede municipal de Porto Alegre, produtor musical e radialista. Durante muito tempo foi guitarrista do lendário, outsider, músico e compositor porto-alegrense Julio Reny, co-fundador de Os Daltons, com Jimi Joe. Trabalhou, por fim, ao lado do maestro Tiago Flores (Orquestra de Câmara da ULBRA) como solista nos Concertos DANA, em 2009. Fora isso, acompanhou o carioca Ras Bernardo (primeiro vocalista do Cidade Negra) em suas excursões de reggae ao redor do Rio Grande do Sul e Santa Catarina. Cris se apresenta ao lado de Jeff Ferreira (Os Arnaldos) no baixo e Davi Machado (Zé do Belo) na bateria.

Trilogia dos CDs

A Trilogia conta com 50 faixas instrumentais distribuídas nos três álbuns que se comunicam entre si, quando dialogam e dão continuidade através dos excertos e das partes encaixadas aleatoriamente (ou não) na forma de ouvir os discos. Assim, a Trilogia ganha vida própria em um carrossel sonoro cheio de efeitos e nuances convidando o ouvinte a embarcar em uma viagem sonora da primeira à última faixa. Através das artes plásticas, do cinema e da literatura, o compositor expõe sua música instrumental de forma conceitual dividida em três momentos. São três álbuns consecutivos feitos em menos de dois anos que se completam com sua força individual, ora pela figura das flores, do sagrado feminino e do misticismo sempre presente como fio condutor; ora o amor, este sim, no centro de um quebra-cabeça sonoro.  

Álbum Aline (2013) Independente

Produção Thomas Dreher

A sonoridade prensada em Aline reflete as idas e vindas do guitarrista cujo cotidiano é dividido entre os bucólicos caminhos rurais e as poluídas avenidas de Porto Alegre. O disco retrata a recente fase de ruptura vivida por Varisco, ou seja, a divisão de sua vida entre os valores frívolos da cidade grande em contraposição à edificante vivência campeira. Em 50 minutos de audição, o álbum passeia por gêneros tão distintos quanto, por vezes, “tradicionais”: folk, psicodelia, erudito, rock, blues, dentre outras sonoridades em gravações inéditas, releituras de antigas canções e, ainda, revela marcantes influências que Cris incorporou na estrada. Ouve-se o velho blues tradicional – envenenado, todavia, por uma entonação “telúrica” junto a uma saborosa coleção de vinhetas, ruídos, sons aleatórios e, para fechar, quentes improvisos à base de rock progressivo – ora meditativos, ora contemplativos. 

Trilhas Sonoras para Filmes Imaginários (2014) Independente 

Produção Thomas Dreher

“Trilhas Sonoras para Filmes Imaginários” é o segundo disco do guitarrista e compositor Cristiano Varisco, que busca uma aproximação da música instrumental com a sétima arte. A capa do álbum é um tributo ao cinema gaúcho que leva à cena a atriz Tatiana Paganella (a personagem The Dark Rider do filme Porto dos Mortos/2010). O álbum é uma alusão à grande tela, respirando os ares da música ao vivo das primeiras décadas do cinema, desde a clássica pianola acompanhante aos modernos sets de filmagem, descrevendo através das composições o clima envolvente dos bastidores e as entrelinhas de roteiros aleatórios em uma espécie de making-off sonoro, com muito improviso frente às câmeras (ou microfones), quiçá a espontaneidade em narrações pontuais que circundam os 15 temas instrumentais, transitando em diferentes cenários harmônicos e insólitas histórias musicadas. Disco indicado como melhor compositor de música instrumental – Prêmio Açorianos de Música 2015.   

Lucia McCartney (2015) Independente 

Produção Thomas Dreher

Agora é a vez de Cris Varisco prestar tributo ao mundo da Literatura, lembrando o intrigante personagem de Rubem Fonseca, consagrado escritor brasileiro com seu livro homônimo de 1967. A música descritiva de “Lúcia McCartney” vai ao encontro de uma prosa realista através de 19 faixas que encerram a trilogia do compositor, “Música para Plantas/Trilogia das Flores”, totalizando 50 músicas registradas em menos de dois anos. Os três álbuns gravados de forma ininterrupta nos Estúdios Dreher em Porto Alegre, no período de dois anos, oferta de um apanhado sonoro percorrido pelo guitarrista, vide suas influências em novos arranjos, composições atuais versus temas perdidos, agora recuperados sob o inquieto olhar do presente.

AGENDA DE SHOWS

22/05: SÃO PAULO/SP

Horário: 19h

Local: SESC Consolação

Endereço: Rua Doutor Vila Nova, 245, São Paulo/SP. 

ENVIE UMA MENSAGEM:

13 + 6 =

Fotos: Mari Kircher | Juliana Lima | Arquivo Cris Varisco